dr_camilacruz

Sinusite – Sintomas e Tratamento

Por: Drª. Camilla Bezerra Maia - Otorrinolaringologista / CRM 6446

Sinusite é a inflamação dos seios paranasais, cujos sintomas são: obstrução nasal, dor facial, secreção nasal, tosse e fadiga.

Para que servem os seios da face? São cavidades aeradas que auxiliam na nossa voz, diminuem o peso da nossa cabeça e funcionam com verdadeiros ”airbags” para nos proteger de um trauma.

Para simplificarmos, existem dois tipos de sinusite: aguda e crônica, as quais podem ser viral, alérgica, bacteriana e fúngica. Nas agudas, fazendo o tratamento adequado, em poucos dias, já há melhora dos sintomas, porém na crônica há a necessidade de acompanhamento e tratamento a longo prazo com medicações ou, às vezes, procedimento cirúrgico.

Resfriados que se prolongam por mais de 10 dias ou os que pioram depois do quinto dia, devem servir de alerta para que se busque uma avaliação médica. Esses sinais podem indicar sinusite aguda, cujo tratamento é basicamente clínico, com soro fisiológico (higiene nasal) e sprays nasais, analgésicos para melhorar a dor e, eventualmente, anti-inflamatórios e/ou antibióticos.

Se os sintomas persistirem por mais de oito semanas, a doença será crônica. Ela pode estar associada a fatores como desvio de septo, formação de pólipos e degeneração da mucosa, que obstruem as vias nasais e impedem que a secreção seja adequadamente drenada e, com isso, há a facilidade de infecção dessa região pela próprias bactérias existentes na fossa nasal.

Na maioria dos casos de sinusite crônica, a conduta cirúrgica para remoção do fator obstrutivo é a única alternativa para promover a melhora e reduzir as recidivas. A sinusectomia endoscópica é a técnica mais adotada, sendo minimamente invasiva. O procedimento é feito com o auxílio de um endoscópio, que permite ao médico ter acesso e visualizar de forma ampliada toda a cavidade nasal para a remoção do fator causal. Mesmo quando não é possível a total remoção da causa, há uma melhora na qualidade de vida, pois há redução da incidência das crises de sinusites. Recidivas podem ocorrer, principalmente nas sinusites causadas por fungos e por pólipos.

A sinusite tem cura e acompanhamento. Existem inúmeros tratamentos e, ainda que, em poucos casos, o problema não possa ser totalmente revertido, os benefícios para o paciente são muito expressivos. Acreditar no mito de que não há cura é aceitar a conviver com a sinusite seus sintomas, e com o risco de das complicações que ela pode causar.

mulher-sinusite